TIQUES NA CRIANÇA

O que são tiques?

Os tiques são movimentos rápidos, recorrentes e não rítmicos (tiques motores) ou sons vocais (tiques vocais) incontroláveis. Em alguns casos incluem palavras e frases inapropriadas. Os tiques motores ou vocais são sempre involuntários.

Exemplos de tiques motores: pestanejar, movimentar a cabeça, sacudir os braços, saltar, tocarem objetos ou pessoas, movimentar todo o corpo

Exemplos de tiques verbais: limpar a garganta, dar estalinhos com a língua, fungar, grunhir, imitar sons de animais ou em situações mais raras palavras ou frases fora de contexto.

Quando podem surgir os tiques?
O que é a síndrome de Gilles de la Tourette?
Qual é a causa de SGT?
A SGT pode ter uma causa genética?
Há estudos em curso sobre a SGT?
Como é que se diagnostica a SGT?
Quais são os critérios de diagnóstico da SGT?
Quais são as comorbilidades associadas à SGT?
Como se podem prevenir os tiques?
Os profissionais de saúde podem ajudar a melhorar os sintomas?
Todas as crianças com SGT precisam ser medicadas?
Quais são as terapêuticas não farmacológicas que existem?
E se a terapêutica comportamental não for eficaz só por si?
Que tipo de fármacos são utilizados?
A terapêutica comportamental e farmacológica são sempre eficazes?
Qual o papel dos pais no tratamento?
Qual o papel da escola?
Existe remissão completa do quadro?
O que fazer na presença de uma criança com SGT?
E no futuro? As crianças com SGT podem ter qualquer profissão?
Novidades!

— Prof. Dra. Teresa Temudo (Novembro 2019)

Bibliografia

C. Ganos, D. Martino, T. Pringsheim. Tics in the pediatric population: pragmatic management. Movement disorders clinical pratice.2016

P. Song, L. Jiang, X. Li, S. Hong, S. Li, Y. Huhe Efficacy and Tolerability of the Clonidine Transdermal Patch in the Treatment for Children with Tic Disorders: A Prospective, Open, Single-Group, Self-Controlled Study. Frontiers in Neurology. 2017, 23(8):32

D. Martino, T. Pringsheim, A. Cavanna, C. Colosimo, G.Stebbins, P. Marti.Systematic review of severity scales and screening instruments for tics: Critique and recommendations. Movement disorders. 2017; 32 (3): 467-473

Christine A. Conelea and Brianna C.M. Wellen. Multi-Media Field Test Tic Treatment Goes Tech: A Review of TicHelper.com. Cognitive and Behavioral Practice.2017

Russell C. Dale. Tics and Tourette: a clinical, pathophysiological and etiological review. Current Opinon Pediatrics 2017, 29.

D. Greene, A. Williams, J. Schlaggar, K. Black. Brain structure in pediatric Tourette syndrome. Molecular pschyatry.2017. 22, 972-980

Y, Liu, J. Wang, J. Zhang, H. Wen, Y. Peng. Altered spontaneous brain activity in children with early Tourette Syndrome: a resting-state fMRI study. Scientific Reports.7: 4808

J. Bernaciak, B. Wisniowecka, J. Castañeda, A. Kazmierczak, B. Nowakowska. A novel de novo 20ª13.11q13.12 microdeletion in a boy with neurodevelopmental disordes-case report. Developmental Period Medicine. 2017. XX1,2

K. Edwards, S. Mendolowitz, E. Jackson, C. Champigy, G. Dimitropoulos. A qualitative exploration of the experiences of children and adolescents with Tourette Syndrome. Journal of Canadian Academy of child and adolescent psychiatry. 2017. 26 (1)

S. Schaefer, C. Chow, E. Louis, D. Robakis. Tic exacerbation in adults with Tourette Sundrome: a case series. Tremoe and other hyperkinetic movement.2017;7

T. Sambrani, E. Jakubovski, K. Vahl. New insights into clinical characteristics of Gilles de la Tourette Syndrome: findings in 1032 patients from a single German center. Rontiers in neurosciene. 2016.10(415)

M. Himle, M. Capriotti, L. Hayes, J. Walkup, S. Chang, J. Placentini. Variables associated with tics exacerbation in children with chronic disorders. Behaviour modification.2014; 38 (2):163-183

D. Gonzaga, T.Temudo. Saúde infantil. 2010; 32(1):01

QUEM SOMOS
A Sociedade Portuguesa de Neuropediatria tem como objectivo a promoção, aprofundamento e divulgação de conhecimentos relativos à neuropediatria, e propõe-se a investigação na respectiva área, cooperação com organismos afins, nacionais e estrangeiros, informação dos poderes públicos dos problemas da especialidade, e propor soluções.
ONDE ESTAMOS
CONTACTOS DO SECRETARIADO
+351 918 297 743
spnp.neuropediatria@gmail.com
Avenida da Boavista, Nº 1015 - Sala 601, 4100-128  Porto
© 2019 SPNP - Sociedade Portuguesa de Neuropediatria